Raízes-bravas

A mandioca-brava é um tipo de raiz que contém uma substância tóxica chamada ácido cianídrico. A ingestão inadequada desta mandioca provoca uma intoxicação que pode levar à morte.

Recomenda-se descascá-la, cortá-la em partes, submetê-la à ação do sol por pelo menos uma hora e, em seguida, fervê-la bem. Somente assim estaria disponível para transforma-se em alimento seguro.

Há algo de semelhante entre a mandioca-brava e alguns tipos de experiências, pois que exigem cuidados prévios sem os quais quase nada percebemos, quase nada portanto aproveitamos e menos ainda entendemos.

A experiência universitária da aula talvez possa estar nessa chave, o que faria dela uma espécie peculiar de “raiz-brava”. Uma degustação despreparada, por isso, pode determinar algum tipo de envenenamento da compreensão e acarretar náuseas, tonturas e mesmo vômitos.

O que poderia significar “descascar” a aula? Superar a primeira camada que nos separa no núcleo de sabor. E como ela se chama? Preconceito. Para a grande (imensa?) maioria dos e das estudantes aula é lugar de desconfiança, de múltiplos receios, comandos automatizados e comportamentos-padrão, muitas (muitíssimas?) vezes rebaixados.

Em seguida, a aula precisa ser divida em partes e submetidas à ação luminosa da própria inteligência, precisa ser refrescada pela dinâmica da lembrança e preparada para a digestão no tempo do entendimento de cada um.

Transformar uma aula em alimento talvez seja decifrar o convite que ela comporta (mesmo sob o eventual desajeito do/da professor/a), os caminhos de indagação e investigação que propicia, o ritmo de reflexão que pratica e que permite assimilação.

Uma aula pode ser aproveitada em ideias, em livros, em experiências artísticas, em encontros amorosos, fraternos, em passeios, viagens, em devaneios, para o autoconhecimento, no sentido de nos ensinar a constituir com esmero e dedicação nosso lugar de fala e, por isso, nossa posição no mundo.

Servidos com decoro conveniente, todas essas “raízes-bravas” (ou valorosas origens) tornadas experiências incorporadas, proveitosas e prazerosas, podem inspirar e instruir outras pessoas, outras inteligências, outros desejos ainda perdidos em alimentos rudes, em práticas grosseiras e banais, porque desprovidos dos cuidados mais fundamentais.

Links adicionais

1. Denilson Cordeiro já escreveu para o SQS! Em Estudantes e “vida social” ele falou sobre as mudanças que a universidade pode provocar em quem está ingressando no meio acadêmico.

2. Crédito de imagens: Arthur Chapman via Visual hunt / CC BY-NC-SA

Denilson Cordeiro
Graduado e doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Ex-jogador de futebol, ex-feirante, ex-balconista (em loja de discos) e ex-florista. Atualmente a Universidade Federal de São Paulo tem seu passe e lá, dizem, tem sido professor de Filosofia.

Autor Convidado

Autor Convidado

O blog Só Que Sim conta com a colaboração de vários amigos e leitores que compartilham aqui seus textos e ideias.

%d blogueiros gostam disto: