Memórias de um esclerosado

Tudo depende de onde você coloca o coração
Isto altera a linguagem
A ponto de torná-la poesia
Ou frases esquecidas
 
Deparei-me hoje com um cartunista
E depois com os seus desenhos
E ambos mexeram comigo de tal modo
Que resolvi fazer eco à sua voz
 
O cartunista possui esclerose múltipla
Múltipla
Nome infernal que potencializa a condição
 
Atualmente o cartunista retrata
Como está lidando com a esclerose
Em cartuns semanais
 
Ele sente necessidade de fazer isso
Ele precisa fazer isso
Sentir a mão traí-lo não é reconfortante
Mas dialogar alivia
 
Fazer-se ouvir através da imagem
Dissercar-se através da imagem
Alguém aí ouve?
 

Links interessantes:

  1. Em 2010, o cartunista Rafael Corrêa foi diagnosticado com esclerose múltipla, uma doença autoimunitária que ataca o sistema nervoso. No blog Memórias de um esclerosado ele nos conta um pouco desta experiência, através de quadrinhos autobiográficos.
  2. Se você quer conhecer melhor o trabalho do Rafael, pode visitar também o Blog do Rafael, onde são apresentados diversos outros cartuns.
  3. A imagem no cabeçalho deste post, de autoria de Rafael Corrêa, rendeu-lhe o prêmio de melhor tira no 42º Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Ele gentilmente autorizou a utilização da tira neste post. Outros vencedores do Salão podem ser encontrados aqui.
Pedro Daldegan

Pedro Daldegan

Mestre em matemática pela UFMG. Atualmente é aluno de doutorado na mesma instituição, com ênfase em álgebra. Quando não está no cinema ou matematicando, é leitor, cozinheiro e poeta. Há boatos de que também desenha, mas só temos conhecimento dos seus deformados bonecos de palitinho.

2 comentários em “Memórias de um esclerosado

  • 13 de novembro de 2015 a 15:48
    Permalink

    Tocante, Pedro! A tira me rememora tantas situações! O trabalho do Rafael é maravilhoso!

    Responder
    • Pedro Daldegan
      14 de novembro de 2015 a 15:01
      Permalink

      Verdade, Mari. Desde o princípio gostei da forma com que o Rafael utiliza traços simples e economia de palavras para transmitir uma ideia. Segundo ele é por preguiça, ao que sou agradecido então. Uma triste coincidência eu publicar no facebook expressando minha admiração por chargistas no mesmo dia dos ataques em Paris.

      Responder
%d blogueiros gostam disto: