Um deserto diferente

Quando pensamos em um deserto, a imagem que nos vem em mente é aquele monte de areia, a secura sem igual, as miragens e os oásis. Camelos? Talvez, se você estiver com sorte. Agora imagine um deserto diferente: não é seco, tem uma camada de água que banha seus pés! Não tem areia, ela é substituída pelo sal. Não tem camelo, mas você pode fazer um passeio com um jipe, se quiser. Não tem dunas, mas tem uns montinhos de sal para a extração humana. Achou estranho? Pois este lugar é o famoso Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo! E ele não fica muito longe do Brasil não: está situado no sul da Bolívia, a 540 km da capital La Paz. Fica perto da cidade de Uyuni e tem mais de 10 mil km². Se formou devido à evaporação dos mares que inundavam a região.

Chegar até o deserto pode ser uma tarefa árdua se você não quer gastar dinheiro, ou poIMG_8553de ser muito fácil se você tiver condições de pegar um avião até a cidade de Uyuni. Existem ônibus que saem de La Paz em direção à cidade, mas já vou avisando que algumas rodovias têm mais buraco que asfalto! Mesmo chacoalhando por 12 horas até lá, vale a pena! Chegando, são inúmeras as empresas que oferecem passeios com guias profissionais. Você pode pechinchar e escolher a que te atende melhor. Os passeios mais populares são os de dois a três dias, e é possível dormir no meio deserto, em alojamentos baratos ou até mesmo em um hotel todo feito de sal! De novo, toda a mordomia (ou a falta dela) vai depender de quanto você pode gastar.

A maioria dos passeios é dividida em duas partes: o deserto “normal” e o deserto de sal. No primeiro, um deserto típico, suas narinas vão secar! Você vai ver os animais que habitam a região, vai poder andar na beira das lagoas maravilhosas de todas as cores que imaginar, ver os flamingos namorando, vai ver as rochas que foram moldadas pelos ventos e as que foram atiradas do alto de um vulcão em erupção! Já imaginou uma lagoa vermelha? A Lagoa Colorada tem esta cor por causa da pigmentação de algas em contraste com o branco do sal de suas águas.

IMG_8786alt

Você também vai conhecer um cemitério de trens. IMG_0598 (2)O que estes trens estão fazendo lá, no meio do nada? Nos informaram que eles datam do final do século XIX e faziam parte de uma rota para levar as riquezas da Bolívia até o Pacífico. Porém, sofreram muita oposição dos nativos indígenas e após intensa exploração dos recursos bolivianos, perderam sua utilidade. Com a diminuição das exportações, os trens foram deixados de lado. Todas estas atrações são só aperitivos para o deserto de sal!

A segunda parte do passeio, a mais esperada, é aquela onde o guia te levará para andar sobre as águas do Salar de Uyuni. Mas isto só é possível durante o período de chuvas, pois a água fica acumulada em cima do sal. Ela reflete o céu, formando imagens deslumbrantes, e aumentando ainda mais a sensação de imensidão. Ou seja, torça para chover nos dias anteriores à sua visita!

IMG_9139lt

O deserto tem uma camada de sal variada e 25 mil toneladas são extraídas todo ano. No total, estima-se que tenha 10 bilhões de toneladas. Faça as contas: 400 mil anos até extrairmos todo o sal, se continuarmos nesta proporção. É ou não é grande?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para ler mais sobre esta viagem, clique aqui.

Marina Muniz

Marina Muniz

Formada em Matemática, mestre em Estatística e professora no ensino superior, trabalha o ano todo para juntar dinheiro para as suas viagens! Gosta de fazer intercâmbios, aprender outras línguas, experimentar comidas diferentes e conhecer pessoas de outros cantos do mundo. Também gosta de cachoeiras, trekkings, cinema, livros e música brasileira.

%d blogueiros gostam disto: