Ler o mundo

Se você chegou até aqui é porque ainda não desistiu de ler! Você leu os links, leu a página, leu o título deste blog. E, muito provavelmente, você também já leu/ouviu/viu alguém dizer: Menino, ler faz bem! Mas ler o quê? Se no mês que vem você ler Machado de Assis e Guimarães Rosa tá tudo bem? Não. A verdade é que a gente não lê só livros, revistas e textos de internet — a gente lê o mundo! E é essa leitura que faz a gente ser o que é!

O problema, meu amigo, é que estamos capengando nessa leitura. A gente se entrosa com um grupo aqui, outro ali e, em cada um deles, uma nova leitura do mundo nos é apresentada. Um grupo diz que estudar é coisa de nerd, outro, que arte é pra veados e um terceiro, que música clássica é um porre. Mais tarde, dizem que devemos nos casar antes dos trinta, comprar um carro e ter filhos. Ou o contrário disso tudo! O fato é que sempre há alguém lendo o mundo pra gente, moldando nossas opiniões e experiências. E caímos nessa sem sequer nos perguntarmos: Putz! Será que é isso mesmo?

Pois é, estão lendo o mundo pra gente! Andamos por aí repetindo opiniões que não são nossas: pensar é trabalhoso, cultura é tediosa, manga com leite mata! E evitamos conhecer um bocado de coisas, simplesmente porque nos disseram que não vale a pena.

Este blog é um convite à releitura, à negação dessa negação do conhecimento. Falaremos de arte, cinema, livros, ciência, história, mundo, Brasil, de mim, de você, de nós, mas sem rodeios, sem complicação. Vamos reler o mundo! Com nossos próprios olhos, com nossa própria pele, com nossos próprios ouvidos e, claro, com nosso próprio nariz! Um horizonte mais amplo é possível. Só que sim!

3 comentários em “Ler o mundo

  • 4 de novembro de 2015 a 12:56
    Permalink

    Adorei! Estou cansada dos rótulos, e de tanta gente dizendo o que devemos ser ou ter… ou fazer … No final das contas o que somos,sentimos e pensamos fica de lado pra seguir um mundo que não conhecemos … Parabéns pela ousadia.

    Responder
    • 4 de novembro de 2015 a 13:12
      Permalink

      É esse o espírito, Alexsandra!
      Rótulos muitas vezes servem apenas para nos afastar de experimentar situações que poderiam ser incríveis!

      Muito obrigado pelo comentário e volte sempre!

      Responder
  • 23 de dezembro de 2015 a 08:24
    Permalink

    Que se recolham as penas lançadas no chão, cortadas pela sociedade e seus padrões! Que a liberdade ignore o não!

    Diz a física que a aerodinâmica não o favorece, corpo muito grande, assas muito pequenas, voar jamais poderia…
    Feliz o besouro que não se influência com os que ditam as regras mas desengonçado ele voa!

    Responder
%d blogueiros gostam disto: